sexta-feira, 5 de setembro de 2008

VERNACULO DA TOXICIDADE



Só com drogas me enfureço
não há remédio
todos puxam o mesmo carro e eu pra baixo
do lado de lá da estrada
capto tudo
os montes assediam as prostitutas expectantes pelo filme que protagonizarão a seguir na redundancia que caracteriza o falo
na verdade, sao as prostitutas as melhores actrizes ...
a estrada continua engolindo traços continuos e traçejados intermitentes porque a estrada imita a vida, a vida imita a estrada e algo tem de sempre faltar, romper, secar entre duas realidades...
segue torta, parecendo recta, como aquela outra ...
a mordaça nao disfarça...

gosto de foder por cima ...
é das drogas que me dão...


DEDALO

2 comentários:

Kerhex disse...

Que agressividade, grande Telmo! Nem parece teu.
Para mim, o texto é um tanto ou quanto aleatório, no entanto quando o li da primeira vez deu-me uma sensação de velocidade vertiginosa, como se estivesse nesse carro.
Guess i'm kinda insane.
Grande abraço para um grande Telmo.

PS- Deixo o lin para o meu blog, mas nada de escrever comentários foleiros: www.sonhosrubeaceos.blogspot.com

Eduardo disse...

Ola Telmo! Felicito-te pelo teu blog. Espero que continues a escrever que eu irei continuar a ler =).
Grande abraço do Eduardo da fac. (o litos)